segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Grandes mudanças


Queria dizer que não despareci em combate, tenho andado por cá com problemas na internet, num "Portugal no seu melhor", mas disso falarei noutra ocasião, agora vou prosseguir com o meu relato.

Até às 18 semanas, a metamorfose do nosso corpo dá-se de forma gradual, a partir desta fase, as alterações fazem-se sentir de forma muito mais acentuada. Acho que é porque nesta fase os nossos rebentos começam a crescer e a exigência dos recursos da mãe é enorme, principalmente para as mamãs de gémeos.

A barriga, da noite para o dia cresce, cresce e cresce; Começamos a ter uma maior dificuldade de respiração quando subimos umas simples escadas; O nosso cabelo, unhas e pêlo deixam quase de crescer (o que até nem á mau para quem é "peludinha" como eu), todo o nosso organismo está virado para aqueles seres e para suprir as suas necessidades.

Também é nesta fase que sentimos os primeiros movimentos dos bebés, eu pelo menos foi por volta das 18/19 semanas que senti os pipizes pela primeira vez. O movimento como uma carícia interna, parece que alguém anda a "nadar" dentro do nosso corpo. Ao ínicio, esses movimentos sentem-se esporádicamente, quase que passam despercebidos... É uma sensação tão nova, que não se consegue descrever, e boa, muito boa.

Com 18 semanas apanhei o meu primeiro susto, deve haver algures um post a relatá-lo, portanto não me vou alongar. Foi quando fiz a hérnia de esforço. Foi um medo horrível que senti, chorei imenso antes de ir para o hospital, e mesmo lá, as lágrimas teimavam em querer cair. A enfermeira e a médica que me atenderam perceberam que estava muito nervosa e não me abandonaram um minuto.

Nessa altura, e devido ao que já falei no post anterior, devo dizer-vos que andava aterrorizada, e que qualquer coisa me parecia uma enormidade. Só não fui mais vezes para a urgência por vergonha...

Para além da hérnia de esforço que felizmente não se voltou a manifestar até à data, lá vim eu para casa com os meus tesouros mais valiosos: Os pipizes.

Por esta altura, já pouco conseguia ver para além da barriga, mas ainda consegui ver a ponta dos pés, relativamente aos outros orgãos externos, só de espelho, porque de resto já nem com muito boa vontade conseguia ver se as virilhas estavam ou não depiladas...

O mais engraçado é que em cada fase, achamos que já estamos enormes e que será impossível ficarmos ainda mais. Mas desiludam-se, é sempre possível ficar mais e mais enorme, e perder o controle absoluto do nosso corpo.

Os orgãos internos começam a ser "tomados" de assalto: O nosso estomâgo, o nosso intestino, tudo fica alterado, é nesta fase que já estamos muito bem (leia-se: Sem enjoos), que começamos a ter uma azia terrível, e que o nosso organismo armazena quantidades de "metanol" que julgavamos simplesmente não existirem.

Ás 21 semanas foi outro susto, este mais efectivo do que o outro. Estava com contracções, ainda que não dolorosas. Passo a explicar, para as meninas que não sabem (assim como eu não sabia), as contracções são quando sentimos repentinamente a barriga endurecer muito, a sensação deve ser mais ou menos a do peixe quando é apanhado na rede e depois esta começa a apertar, a apertar até ficar só numa bola onde vai juntar o peixe todo. Sentia essas contracções muito seguidas, e colocava a mão na barriga e sentia que ela estava dura como pedra. Mais uma vez urgência, exames de sangue, de urina... Indicação de repouso e magnésio, muito magnésio.

Passados 3 dias a sensação não passou e começamos a fazer medicação específica para as contracções e foi quando vim para casa para a sornice. Desta vez, para ficar.

As primeiras semanas, que passei em casa, no "vai não vai", foram muito duras. Sabia que se acontecesse alguma coisa naquelas semanas, o resultado seria desastroso, e chorava muito, nas horas que passava aqui sózinha. Cada dia sentia como uma vitória dos meus pipizes e sofria muito só de pensar que não sabia o que iria acontecer no dia seguinte. Foram umas semanas conturbadas, em que nem queria que ninguém falasse comigo, e qualquer coisa me fazia chorar.

Só no Natal (devia andar por volta das 26 semanas), dissemos a toda a gente que os nossos pipizes eram um "ele & ela", e só a partir de janeiro autorizei a que me dessem alguma coisa para eles. Até essa altura, mais ou menos 26/27 semanas não tinha nada cá em casa que me lembrasse que ia ter um bebé, quanto mais dois.

Também, depois dessa altura, comecei a ter verdadeiras invasões de coisas para eles, e acho que foi só aí que me apercebi como estes pipizes são desejados, não são por nós, mas por toda a família e amigos. Alegro-me imenso, por todo o amor que os rodeia, apesar de ainda estarem na barrigota, mas entristeço-me porque muitas crianças não têm 1/3 sequer desse amor, nem são desejadas como eles são.

Os movimentos deles também são mais intensos a cada semana que passa, quanto mais eles crescem, menos espaço têm, mais sentimos. As mamãs de gémeos conseguem, a maior parte das vezes, saber qual é que está a mexer, se bem que é complicado. E eles têm já um ritmo próprio, e certos horários, que eu costumo chamar de "hora do recreio", em que me ponho com a "super" barriga ao ar a ver a frequente ondulação e a tentar imaginar o que se passa lá dentro.

Por hoje fico por aqui.

Beijos a todas

19 comentários:

Carla disse...

A ler os teus relatos e só pensava: ai que saudades! De tudo!! Mas o sentir-los mexer e saber perfeitamente qual deles era deixava-me extasiada de prazer! Estar grávida de um bebé é bom, mas de dois é inigualável! E eu tive uma gravidez abençoada (e não me importava nada de ter outra assim mesmo, a duplicar!).
Beijinhos,

Lita disse...

Minha querida
os teus relatos são emocionantes! Deve ser fantástico passar por todas essas fazes (exceptuam-se os sustos, claro!), sentir o corpo mudar e sentir que dentro da barriga em crescimento estão os teus filhos!!

zanita disse...

Adoro os teus relatos. Tou desejosa de sentir a minha estrelinha mexer-se cá dentro...

Sonia disse...

:)))
Adoro ler cada linha, sabe bem sentir e relembrar o que se sente. Eu queixo-me mas sei que vou sentir saudades.

Revi-me neste parágrafo
"O mais engraçado é que em cada fase, achamos que já estamos enormes e que será impossível ficarmos ainda mais. Mas desiludam-se, é sempre possível ficar mais e mais enorme, e perder o controle absoluto do nosso corpo."
É que é mesmo!
Ainda ontem olhava o meu umbigo, que quase já não existe ... tenho um sinal que desconhecia , igual ao da minha sobrinha, mas como tenho um umbigo fundo nunca o tinha visto.

:D

Angela disse...

Adoro os teus relatos, devias pensar em escrever um livro !!
Beijos grandes

Anna72 disse...

É uma delícia ler os teus relatos, apesar de não ter sido uma gravidez fácil.

Apesar de a minha gravidez só ter durado 8 semanas e não ter dado para sentir o que é estar grávida, através dos teus relatos consigo imaginar e isso é fantástico!

Beijocas.

susana pina disse...

Os teus relatos enchem-me o coração e inundam-me os olhos de lágrimas.
É lindo o que sentimos quando temos uma gravidez tão desejada, e ao ler o teu post, lembro-me de cada passinho que transcreves, e revejo-me com muitas saudades das minhas meninas.
Gosto muito de ti, ainda que não te conheça pessoalmente.
Obrigada pelas palavras lindas
Bjs amigos
Susana Pina

Penélope disse...

Adorei ler o teu relato acerca da gravidez de gêmeos; tb passei por isso mas no meu caso foi só uma (!).
Amiga, não tenhas medo ou vergonha de ir às urgências, os médicos e hospitais servem para isso mesmo, para nos tratar e resolver todas as dúvidas; eu às 18 semsnas tive um susto, uma pequena hemorragia, e acredita, apesar de ter cessado a hemorragia, dia sim dia não ia às urgências ... na Cuf até já se riam de mim... e eu nas tintas para eles; mais vale prevenir do que remediar, principalmente no nosso caso em que as gravidezes foram demoradas e difíceis, percebes?
Que continue tudo de 'vento em popa', fico aguardar mais relatos destes, fascinantes!
Bjs

amora disse...

Gosto tanto de ler estes relatos. É como se nestes poucos minutos tb engravidasse um bocadinho. Fazem-me sonhar!

Boa sorte e continua!

beijinhos

Tixa disse...

Bem fantástico!!! Sabes estou a vibrar a cada linha com o teu relato e às vezes dou comigo a pensar se algum dia vai ser assim comigo (é que 5ª feira sabemos qd partimos na "nossa viagem"), cá continuarei a ler o relato fantástico.
Um bj grande e continua a sorna

Anónimo disse...

Estes relatos em tom de reviver têm sido magnificos... mas hoje achei especialmente bonito.
Beijinhos
Anaritababy

Sonhamos Contigo disse...

K belo relato!!!!! E tao bom recordar cm td aconteceu, os nossos receios mas tambem alegrias... vais ver k vai correr td bem, e nao tarda os teus pipizes estao no teu colo...!!!
:D

Jinhos e optima semana

Para o meu bébé disse...

Amiga,
Estou tentada a copiar os teus relatos para um documento word para os reler um dia qd estiver grávida. É tudo tão maravilhoso (tiando os sutos, claro) q fico cheia de vontade de um dia sentir o mesmo!

Beijinhos muito grandes e até um dia destes (vou andar meia ausente por causa da formação, mas na 4ª e na 6ª estou online)
Alexandra

Para o meu bébé disse...

Pronto...é oficial: estou a ficar lerda! Já me enganei num post no blog da Yami e agora foi no teu...
Onde está "tiando os sutos" eu queria dizer "tirando os sustos" :)

Beijocas
Alexandra

perola&granito disse...

Barriga linda :)

Anokax disse...

Expectaculo! adoro ler as coisas que escreves, ás vezes, confesso, venho mesmo á pressa só pa ler, ás vezes ate através do bloglines e nem comento. Mas adoro sempre!
Muitas Bjokax e Boa quarta

Norita disse...

Adoro, adoro ler tudo o que escreves e consegue-se imaginar o que é estar grávida mesmo sem ter estado, se todas as mães sentissem pelo menos metade desse amor que sentes pelos pipizes, não havia no mundo crianças a sofrer e abandonadas.
Beijinhos grandes

Ana disse...

Que gravidez tão parecida com a minha :)
Com dupla recompensa a caminho!!

Beijocas ENORMES :***

Isabel disse...

Estou prestes a fazer uma FIV. Amanhã vou começar as injecções, estou cheia de medo pois não sei bem as consequências que dai podem advir. Andava desesperadamente à procura de alguma informação na Net, mas parece que sempre que abria uma pagina surgiam os riscos deste método. Porem deparei-me com este blog magnifico que me deu muita força num dia que eu estava muito em baixo. Obrigada por tudo e muitas felicidades.