quarta-feira, janeiro 24, 2007

Do sonho à realidade

Quando recebi o telefonema a dar-me a boa notícia do positivo, fiquei como é evidente eufórica. Lembro que estava com uma grande amiga, e que quando o telefone tocou não me apetecia atender, pelo que lhe disse:

- Atende tu... Não tenho coragem!

Ela responde:
- Eu também não, não consigo...

Resignada à minha sorte, lá atendi o telefone, e ouvi a voz da enfermeira Susana do outro lado a dizer-me que tinham o resultado e que era positivo. Ainda perguntei o valor, o qual não fixei com certeza e ainda a ouvi dizer:

-É um positivo bastante positivo.

Depois disso foi uma alegria, a minha amiga que estava prestes a desfalecer, abraçou-se a mim e fizemos a festa ali mesmo em pleno horário laboral, no meio de uma loja.

Seguiram-se os telefonemas obrigatórios e a respectiva euforia. Confesso que não foram muitos os telefonemas porque somente um punhado de gente sabia deste tratamento. Como todas sabemos estes assuntos são polémicos pela carga emocional que transportam consigo, e o facto de termos uma imensidão de gente a perguntar-nos a toda a hora se já sabemos, se deu resultado, etc... Não ajuda muito.

Depois disso foi o regressar à realidade, o assentar os pés no chão, e a sensação que tive naquele mesmo dia foi a sensação de "day after". Sabem, aquele dia a seguir a uma grande festa, bem regada, em que acordamos e nos sentimos todos partidos como se um autocarro de 2 andares tivesse passado por cima de nós? Pois é assim mesmo.

Eu só pensava e agora? Como vai ser agora? Que faço? Tinha tantas dúvidas na minha cabeça, que ela parecia querer sair dos meus ombros e ir embora.

Acho que o sentimento é normal, esta é a fase em que passamos do sonho à realidade, se bem que a realidade ainda não esteja ali nem se faça sentir. Porque durante a fase anterior (a fase do sonho), a única coisa em que pensamos é no positivo. Eu pelo menos era assim, o meu horizonte levava-me até ao positivo e/ou negativo, não vislumbrava mais além.

Eis que me deparo com um horizonte demasiado longinquo para poder abarcar com o meu olhar, e só o simples facto de começar a trilhar um caminho desconhecido e pouco iluminado estava a deixar-me inquieta.

Por isso, após a euforia inicial fiquei estática e não queria partilhar com ninguém a notícia nem autorizei a que quem sabia a divulgasse.

No dia a seguir, dia 5 de Agosto, fui de férias, a altura era perfeita pensei eu. - Agora vou tirar uns diazinhos de descanso e poder disfrutar desta situação em todo o seu esplendor.

Fomos para a praia.

Levamos as malinhas, e lá fomos nós.

Engraçado como nós engravidamos logo psicologicamente, mesmo antes dos sintomas fisicos se fazerem sentir. Por aquela altura tinha 4 semanas de gravidez e já achava que a barriga me estava a crescer. É bem verdade que depois dos tratamentos ficamos sempre mais inchadas, mas daí a com 4 semanas já termos medo de apertar os botões da bela calça porque achamos que vai massacrar os babies... É um exagero! Então passei o mês de Agosto com roupas largas e botões desapertados.

Outro sintoma de gravidez aguda é o síndrome do WC, ou seja, vamos muitas vezes lá, ainda que não tenhamos vontade só para espreitar a cuequinha e o papel higiénico e para vermos se não há sinal do dito cujo que sempre nos assombrou (desengane-se quem pensa que este síndrome passa... Não passsa! Pelo menos a mim não passou até hoje).

De repente, sentimos que se passa tudo e que não se passa nada. Ou seja, estamos grávidas, mas não temos barriga, não sentimos nada de diferente connosco e não fazemos idéia daquilo que se passa dentro do nosso organismo.

De repente estou na praia... Apetece-me deitar de barriga para baixo e dormir uma soneca (posição preferida num belo dia de praia), de repente penso: -Mas será que se me deitar de barriga para baixo não vou esmagar os meus babies??? - na dúvida não me viro, passo o mês inteiro deitada de frente ou de lado, nunca de barriga para baixo.

Depois tinha o maravilhoso Utrogestan, 3 vezes por dia. Pensamento nos dias de calor: -Será que posso dar um mergulho?? Uma nadadela?? Mas se vou para a água esta porcaria sai toda e depois não faz efeito...- Conclusão, 3 semanas sem um mísero banho de mar, só molhar os pézitos.

Depois a prostração começa a apoderar-se de nós, os nossos "simpáticos parasitas" começam a precisar da nossa energia, e nós vamos aos poucos sucumbindo e as tardes passadas na sorna à sombrinha no terraço sabem tão bem.

Por volta da 6ª semana começam os sintomas: Os cheiros, o cansaço, os enjoos, as alterações no peito, e outras pequenas nuances que vão aparecendo e nos fazem pensar que apesar de ainda não termos nada visível, há ali alguma coisa que não está bem. Acho que deve ser por volta desta altura que as mulheres que engravidam naturalmente se apercebem que estão grávidas. Há ali qualquer coisa diferente que não sabemos explicar (é claro que temos aquelas super grávidas que nunca sentiram enjoos, etc, etc).

Também é nesta fase que aparece o reflexo de andar agarrada à barriga, acho que é o instinto de protecção materno que se apodera de nós. Desde a mais tenra idade achamos que os podemos proteger de tudo e andamos sempre com uma mãozinha na barriga.

Duas semans depois do positivo, eis que surge a ecografia de confirmação (pelo menos no hospital onde fiz o tratamento é assim), e são vários os sentimentos que nos assolam na véspera desse exame tão importante, porque nunca sabemos o que vamos encontrar.

Beijos a todas

13 comentários:

cris disse...

O que eu estou a gostar deste teu relato, testemunho, da viagem percorrida, que, como sempre, está brilhantemente bem escrito!
Fico á espera dos próximos episódios!
Beijocas

*CC* disse...

Olá,

como me vejo em algumas partes deste teu relato, á parte do Wc então nem se fala.., a única coisa que não tenho mesmo é enjoos, sou uma daquelas felizardas, lol...

Conta mais, estamos à espera.

beijocas
CC

Barriguita disse...

impressionante! o relato do Wc é o mais claro possível! as idas ao Wc são constantes, ainda agora, já com 25 semanas... Acabo uma aula e lá vou eu ver se está tudo ok... acho que sou conhecida pela "mijona" de serviço!! E os rolos de papel higiénico que se gastam à conta disso!!!

Beijocas, estou a adorar o teu relato!

Lita disse...

Adorei o teu relato!
Pensei que a parte do WC acontecia mais enquanto se espera as 2 semanas entre a transferência e a beta! É que eu corria para lá hora sim, hora sim!! Parece que, quando tiver direito ao meu positivo, vou continuar com as idas constantes à "casinha"! 2 dias antes de fazer a beta, num sábado, levantei-me á horinha de introduzir o utrogestan e verifiquei, mais uma vez, com alívio, que estava tudo limpinho, sem vestigios do dito cujo! Voltei para a cama. Duas horas depois, acordei de vez, levantei-me e fui fazer mais um chichi. O mundo caiu-me em cima! Senti que alguém me deu um soco no estômago e fiquei, por momentos, sem conseguir respirar! Mas como é que à algumas horas atrás não tinha nada e agora... Bem foi horrível, depois do choque veio o vale de lágrimas, os soluços, o desespero pela causa perdida... Foi horrível! Tanta esperança...
O medo de apertar demais o ventre também me atingiu! E eu nunca fiquei grávida, foi mesmo naquelas duas semanas depois da transferência, em que eu achava que poderia ser possível! Nem me atrevia a usar calças de ganga, por serem mais justas!

Gostei muito do teu testemunho!

Beijinhos grandes

Lita

kitty disse...

É lindo ler este teu relato...
Gostaria muito de passar e sentir tudo o que tão bem descreves!
:)
Beijinho

R&L disse...

Bom, eu não conseguia relato melhor!!! Com excepção da parte da praia, parece que estou a ler o que me aconteceu!

Beijinhos

carla disse...

Olá minha querida.
Delirei ao ler este teu bonito exto.
Muito obrigada mais uma vez por partilhares esta experiência da vida...
Muitos beijinhos,
Carla

Norita disse...

Ohhhh, já acabou por hoje??? Queria mais :)
É delicioso ler o que escreves, quero mais...quero mais :D
Beijinhos grandes

PM disse...

É maravilhoso ler estes teus relatos... estou a adorar!!!!
Beijocas ENORMES e até já ;)

Tiquinha disse...

hehehe!! já te disse que me babo com a forma de tu escreveres? Parece que foi ontem...e num tarda nada cá estarão os meus sobrinhos virtuais. Mas estou a amar.... aguardo os proximos capitulos
beijocas
tica

Ana disse...

Só quem já passou por isso...

Vejo muitas coisas que pensei ao longo destas semanas no teu relato :)

Beijocas ENORMES :***

Sonia disse...

:) Adorei ler, transportaste-me em cada linda .

Sonia disse...

*linha.