domingo, fevereiro 19, 2006

Tratamentos de infertilidade - "A dor sem parto"

Sendo ainda "novata" nestas coisas da infertilidade, a internet apresentou-se-me como um mundo vasto para descobrir mais acerca do significado desta palavra, aparentemente tão inofensiva, mas que desvasta tudo e todos os que se lhe deparam.

Foi assim, que tomei conhecimento das diversas causas da infertilidade, dos seus possíveis tratamentos, de como são efectuados esses tratamentos, das taxas de sucesso dos mesmos, etc.etc.

Palavras como FIV, ICSI, DGPI, TPA, entre muitas outras passaram a fazer parte do meu vocabulário e do meu dia-a-dia, como aliás fazem parte do de milhões de mulheres por esse mundo fora. Cada uma com a sua história, com os seus sentimentos e com a sua mágoa.

Foi assim, que cheguei aos blogs de todas vós, e que criei o meu próprio. Em alguns dos blogs deixo os meus comentários, noutros limito-me a ser espectadora silenciosa dos gritos de revolta que ecoam nas páginas de cada uma. Porque é disso mesmo que se trata: De revolta.

Todas nós pensamos e dizemos porquê eu??

Mas, mais importante do que o sentimento de revolta. Durante as incursões que tenho feito pelos diversos blogs acerca deste tema, verifiquei que existia em todos eles um denominador comum: A dor.

Associada aos diversos tratamento de infertilidade que são relatados nos vossos blogs na primeira pessoa, existe a dor. E essa dor, no meu entender, pode dividir-se em várias dores:

A dor da física - a que as mulheres se sujeitam para fazerem os diversos tratamentos: As injecções, as sucessivas ecografias de monitorização, as anestesias gerais para as punções, e a implantação dos embriões. E estas dores repetidas uma e outra vez, uma e outra vez. Até que se esgotem as opções.

A ingestão contínua de medicação que provoca mal estar, inchaço, dores de cabeça, nauseas, etc. e que nenhuma de nós sabe muito bem o mal que pode fazer ao nosso organismo a médio prazo. E que muitas pensam: "Será que depois disto tudo se tiver um filho vou ter saúde para o ver crescer?"

A dor financeira - é mais do que sabido que os tratamentos de infertilidade são caríssimos, o que aliado à baixa taxa de sucesso cria um factor de dor. Porque, tanto quanto eu sei, mesmo os tratamentos realizados nos hospitais púlicos (que são poucos), têm o encargo da medicação, que é muito cara.

Ora, quer queiramos quer não, o factor financeiro tem um peso decisivo nesta equação (como de resto na maior parte dos aspectos da nossa vida). Digam-me quantas mulheres e homens sofrem de privações para fazerem os tratamentos para terem um filho, e fazem-no uma e outra vez, uma e outra vez, até que se esgotam os recursos financeiros, havendo até aqueles que vendem bens para a realização deste sonho que deveria estar ao alcance de todos.

A dor da "esperança" - por fim temos esta dor. E não ficou para o fim por ser a menos importante, antes pelo contrário. Esta dor é a primeira das dores, a dor que enluta os nossos corações de mulheres que nos leva etapa a etapa para todas as outras dores, até que se esgotem todos os recursos.

  • É dor que sente um homem e uma mulher que têm de fazer amor com hora marcada;
  • É a dor que se sente todos os meses quando uma pequena mancha ensombra o nosso dia;
  • É a dor de se ver um filho chamar de mãe a outra mulher e pensar que se calhar nunca teremos ninguém que nos chame mãe;
  • É a dor da espera dos dias das ecografias de monitorização, das punções, implantações, testes;
  • É a dor da falta das duas riquinhas rosa;
  • É a dor do desgaste de relações que não podem viver em função de uma ansiedade gritante;
  • É a dor de repetir estas dores mês após mês, ano após ano.

E depois ainda há quem fale das dores do parto!

8 comentários:

Alexandra disse...

Amiga,
Gostei muito do teu texto.

Beijocas e continuação de bom domingo...
Alexandra

Mariazinha disse...

Pois é soubeste muito bem relatar a nossa e imensa dor....


Boa semana

Beijos

Mariazinha

Anónimo disse...

Olá amiguinha
pelo que li acho que a unica dor que faltou aprofundar foi mesmo a dor de parto,mas essa descrição será feita por todas nós, um dia destes, cada um avai decrever o que sentiu no seu...parto, e esse dia não estaré longew com certeza.Um beijo Tuga

Tiquinha disse...

está lindo,amiga....
E é mesmo isso, mas acredito que um dia depois de tanta dor a alegria vai ser a sextaplicar, para todas nós.
Uma boa semana de trabalho

Bem Me Queres disse...

Amiga, subscrevo cada palavra.
Um beijo doce
Cláudia

Lita disse...

Pois é amiga, e que dor!!!
Só quem sabe o que isto é pode avaliar.
Um grande beijinho,
Lita

Musa disse...

Tens toda a razão!...
A dor da esperança é mesmo a que doi mais...
Mas um dia tb vamos sentir uma felicidade como ninguém!
Beijinhos grandes,
Musa

Anónimo disse...

Bom dia amiguinha sua mensagem é linda , se não tiver fé do que adianta ficará sofrendo por modivos obvios pense sempre eu quero eu posso eu consigo pois Deus está do nosso lado então ele nunca deixa seu filho sofrer.
Pense nisso e vá a luta
Beijos