domingo, fevereiro 12, 2006

A "reportagem do Expresso"

Olá a todas!

Não imaginam a confusão em que me meti ontem só para comprar o"Expresso". O certo é que estive a trabalhar ontem de manhã, e pedi a um colega que o fosse comprar, tendo recomendado e sublinhado que verificasse se trazia a revista "Única". Não é que quando chegou o jornal, fui logo ver e não trazia a revista (isto só comigo)... Pedi ao colega que lá voltasse, para ir buscar a dita cuja, e ele coitado lá foi. Voltou com a mensagem que o distribuidornão a tinha deixado por lapso e que teria de esperar até ao fim da manhã. Por isso tive deconter aminha curiosidade até ao fim da manhã (meu Deus e como sou curiosa!).

Achei interessante a reportagem. Achei emocionante todas as experiências relatadas. Comovi-me com aquele Sr. que foi trabalhar para as obras para a Alemanha para pagar o tratamento da mulher para poderem ter um filho...

Adorei a coragem da "nossa" Elsa!, Realmente ela deu a cara por todas nós, revelou o endereço do seu cantinho, e por isso tem sido molestada e provavelmente irá continuar a ser, por pessoas sem qualquer tipo de escrupulo e sem o verdadeiro conhecimento desta causa que é só de alguns infelizmente... Obrigada Elsa!

Parece sempre para quem está de fora,para as mulheres ditas "normais", que podem dar grandes palpites, que podem emitir juizos de valor,e dizerem que se fossem elas que adoptavam, que se fossem elas que não andavam stressadas, que o que nós precisamos é de descontrair e relaxar, não pensar nisso, etc.

Suponho que todas nós devemos ter bastantes conselhos destes,provenientes das nossas melhores amigas, das nossas irmãs, maridos etc.

Mas.na verdade, é que somente quem passa por esta situação é que realmente sabe o sentimento de profunda desilusão, de amargura e de profunda revolta que a infertilidade gera dentro de cada uma e que se vai alimentando da nossa sanidade mental mês após mês, dia após dia.

Só nós sabemos o sentimento de frustração e impotência que o simples aparecimento de uma menstruação que não se deseja pode causar. A dor de visitar um recém nascido que não é nosso e que nós não sabemos se alguma vez teremos... Enfim só nós sentimos o drama de uma luta tão desigual...

Por isso, não me venham falar de adopção... Não me venham dizer que existem tantas crianças abandonadas a precisarem de um lar. Eu até concordo, mas desculpem isso só faz aumentar a minha revolta... Existem tantas de nós que querem um filho, e outras a deixarem aqueles que lhes foram confiados ao abandono.

Para mim ser mãe não significa ter apenas uma criança. Para mim um filho é a história de amor minha e do pai que a justifica, é o pedacinho dele e meu que queremos ter a correr cá em casa, é o testemunho vivo desse amor e da junção das nossas duas vidas. E mesmo que um dia esse amor termine, esse tesmunho ficaria sempre presente.

Portanto, adoptar é sim um acto de amor, mas não substituí de forma alguma a maternidade, quando muito pode complementá-la.

Acho que já me alonguei muito hoje,e está a começar a "Medium" tenho de ir ver...

Beijos a todas

P.S. Força Elsa qualquer coisa conta comigo




8 comentários:

Musa disse...

Amiga, concordo com tudo o que disseste. Fico danada quando conto o meu problema a alguém (que tem filhos) que me responde "isso não é o fim do mundo. Há mtas crianças a precisar de amor...". E eu pergunto logo "então porque é que tu não adoptaste?"...
Que mania!
Beijinhos grandes,
Musa

Elsa disse...

Tens razão miga! Eu queria ver se fosse com essas pessoas se elas continuavam a falar assim!

Obrigada pelas tuas palavras, vocês agora fazem-me ficar com lágrimas nos olhos...nós somos todas umas MULHERES de CORAGEM!!

Também tu podes contar comigo! Força também para ti!

Jinhos grandes,
Elsa

*CC* disse...

Olá, concordo, eu n diria melhor, ´nada pode substituír a maternidade...

Pessoas q n sentem, n sabem...

Beijocas
CC

Anónimo disse...

olá amiga, gostei de ler as tuas palavras e revejo-me nelas ,de facto só quem passa por ito pode opinar pq sabe do que está afalar. bjs Tuga

Alexandra disse...

Amiga,
Tb acho q aos outros é muito fácil comentar o nosso problema, já q este não os afecta. :-(
De resto, gostei muito das tuas palavras!
Um beijinho grande
Alexandra

Bem Me Queres disse...

Eu fico possessa qd me dizem uma coisa dessas. Apesar de raramente perder o controlo, é nessas ocasiões que me apetece.........grrrrrrrrrrrr!
Essas pessoinhas não sabem o que dizem!
Bjs doces
Cláudia

Lita disse...

Olá,

Obrigada pela tua visita no meu blog.
És muito bem vinda e podes lá passar e comentar sempre que te apetecer.
conto contigo.
Um beijinho,
Lita

*CC* disse...

Olá,

n podia deixar de responder à tua dúvida, eu já tinha algumas análises feitas e com a sonda vaginal viu-se tudinho, eu tb vi.

Beijocas
CC