quarta-feira, novembro 05, 2008

Paris

Já fui e já voltei, a cidade da "Luz" lá estava, igual a si própria. Muito frio, alguma chuva e o trânsito caótico em hora de ponta.

Fui a trabalho, mas pude também disfrutar de umas "voltinhas", porque é sempre bom ver o que há de novo, e rever o antigo que me deslumbra como sempre.

É tudo "très, très chèr", e quando vagueamos por ruas como a "Avenue Montagne" (por exemplo), a estupefacção raia a indignação, quando vemos montras com vestidos a custar 19.000€, casas de "griffe" onde um simples blazer custa 3500€. E pensamos, que realmente existe muito dinheiro no mundo, o que acontece simplesmente é que está mal distribuído... E depois ainda falam em crise... Meus amigos, quem tinha dinheiro continua a ter, quem não tinha continua a não ter e agora tem um pouco menos (saldo negativo??!!).

Vemos as "damas do petróleo" chegarem com os seus "chauffeurs" (sim porque isto para ser chique temos de ter a palavra em francês) e assistentes. Entrarem nas ditas lojas que estão guardadas por porteiros enluvados. Sentarem os vastos traseiros nas poltronas forradas a peles ou a veludos e vemos começar o desfile de cabides e roupas. Não falam sequer, apontam com o dedo indicador as suas preferências. Dali a pouco é vê-las sair da loja com os "chauffeur" e assistentes carregados com os sacos, entram na loja seguinte e repete-se o cenário por várias vezes...

No extremo oposto, vemos o restante "povo" que anda no metro, que de antiquando, não tem sequer rampas para o acesso dos carrinhos de bebé, vemos o que passam as mães que precisam de se deslocar dali para acolá e têm de transportar os bebés, os carrinhos, os sacos, para entrarem num Metro sobrelotado. As crianças com caras translucidas e aspecto pouco saudável, que circulam por aqueles corredores longe do sol...

Realmente, a nossa perspectiva muda quando somos mães, olhamos mais à nossa volta, qualquer criança nos faz lembrar as "nossas" crianças que deixamos em casa e das quais temos tantas saudades que chega a doer. Vemos que realmente, até podemos ganhar menos do que aqueles franceses, mas que a nossa qualidade de vida é 200% superior.

Eles ficaram sem a mãe pela primeira vez na vida deles. Sentiram, principalmente o meu passarinho louro. Eu também pela primeira vez, senti-me como se faltasse qualquer coisa de mim. Aproveitei para dormir umas noitinhas sem interrupção (santo Lexotan!), e para fazer umas refeições completas sem ter de me levantar 2000 vezes (pelo menos!). Mas faltava qualquer coisa...

Voltei de noite, ainda estavam acordados quando cheguei. Quando entrei pela porta de casa, só ouvi o pai dizer "olha a mamã!" e aparece logo um coelhinho louro de pijama azul a correr para se atirar nos meus braços, nem tive tempo de pousar a mala... A coelhinha logo a seguir, mas mais comedida a minha princesa.

Confesso que tinha medo que se esquecessem de mim... Ainda são muito pequenos... Mas a mãe deles é a mãe deles, e só adormeceram os dois na minha cama grudados a mim, com medo que eu desaparecesse outra vez. São a minha riqueza!

Beijos a todas

11 comentários:

Susana Pina disse...

e os teus posts são inundados de Amor.
Amiga, é tão bom ler-te, é tão reconfortante para mim, saber que a maternidade é o melhor da nossa vida. Não posso desistir. Ao ler-te sinto que toda esta luta tem que valer a pena...vai valer a pena.
Quanto à riqueza que presenseás-te em Paris, fez-me lembrar o marchand Português, e a sua Lady Betty, enfim...o dinheiro deveria de facto ser mais bem distribuido, mas sempre foi assim, e hà-de continuar a ser, infelizmente.
Bjs grandessssss cheios de saudade
Susana

Ruby disse...

Infelizmente ele anda muito mal distribuido, deveriamos de ter todos as mesmas possibilidades, mas também te digo uma coisa, por vezes essas pessoas nao sao felizes e muitas vezes sao mais olhos que barriga.
Agora que sou mae, compreendo melhor determinadas situaçoes, e deve ser muito dificil ter que deixar os nossos rebentos, parace que nos falta algo.

bjs

Angela disse...

E afinal o melhor das viajens e o regressar a casa, não é ???
Vale a pena viajar só por isso...
Beijos grandes

Nina disse...

:)
Ah, Paris, ma belle Paris!:)
Saudades de vos ver...aos 3, amiga!
Quando tiver os resultados das análises do meu menino e, se tudo estiver bem com os 3, temos que marcar o tal encontro a 5!:)
Xi coração bem apertadinho

Sem Desistir disse...

Mãe é Mãe!!!!
E tu és um excelente exemplo disso.
bjos

Raio de Sol disse...

deve ter custado muito aos 3, melhor aos 4...lol...

mas já passou, pelo menos esta, certo?

já estás de novo ao pé dos teus anjinhos lindos e isso é que importa!

beijokas

Bem Me Queres disse...

Eu nem quero imaginar qd começar a trabalhar. Com isso vêm as viagens e as separações das minhas princesas...ui, já dói!
Beijocas nossas e toca lá a apontar uma data para o lanche. Sábado 22 Nov?

Paulo Silva disse...

Olá!
È só para comunicar que o Ser Prematuro cresceu e tem muitas novidades que pode ver e comentar aqui: http://www.serprematuro.net
Bjs
Paulo

Alexia disse...

A lembrar os mais velhos amigos espero que não te importes

beijos grandes

Carla disse...

Olá minha querida.
Passei aqui para vos deixar um carinhoso beijinho para o fim de semana.
Carla e Matilde

CS disse...

Imagino-te lá... e cá...

Bjs