domingo, setembro 24, 2006

Corações ao alto

Ontem fomos a Fátima, eu, os pipis, e o A., depois dos acontecimentos dos últimos dias, andava muito triste e angustiada, e de alguma forma, naquele lugar consegue-se obter alguma paz.

Durante todo o tempo de duração deste problema da infertilidade, nunca fui pessoa de pedir ajuda aos "céus". De alguma forma parecia-me pouco razoável, que uma pessoa com boa saúde, com bom emprego, com uma família toda ela saudável e sem problemas pudesse recorrer ao desespero de solicitar ajuda divina, para um problema, que quer queiramos ou não, não é de "vida ou morte". E por isso, nunca, em ocasião alguma, nem nos meus momento mais sombrios eu pedi para poder gerar uma vida dentro de mim, para poder ter o privilégio de ter um filho.

Sempre achei que se esse privilégio tivesse de me ser concedido seria, senão é porque não estava destinado a ser, e guardei as minhas preces para momentos mais sérios e delicados da minha existência. Não que o facto de não conseguir gerar um filho não seja um assunto sério, nada disso, simplesmente acho que não é a razão una e fundamental da vida de qualquer pessoa. E, perante pessoas com problemas de saúde graves a morrerem nos hospitais, famílias sem emprego a viverem à míngua, ou crianças a serem mortas à pancada... O meu problema era de facto muito pouco relevante.

No entanto, desde que carrego estes pequenos seres dentro de mim, a postura mudou, e a peço constantemente nas minhas orações a graça de poder gerar uns filhos saudáveis, perfeitos, e que me seja dada a capacidade de criar pessoas de bem. A partir do primeiro momento que vemos aquelas "saquinhos" de vida dentro de nós muda toda a nossa postura, e vivemos só preocupadas com eles: Se a gravidez vai correr bem, se vamos conseguir levar a gravidez a termo, se eles vão ser saudáveis, perfeitos, etc, etc.

Acho que a nossa função de mães começa naquele exacto momento, para não terminar nunca mais. Noutro dia aconteceu-me um episódio caricato: Estava a dormir e cerca das 4 da manhã, ouvi uma travagem seguida de choque mesmo em frente a minha casa, acordei sobressaltada, e não quis ir ver o que se passava pois os acidentes impressionam-me imenso. Calculei que fosse algum jovem de regresso de uma noitada bem bebida que tivesse tido aquele acidente, e pensei que aquele sossego que tenho agora durante as noites, em que posso dormir descansadamente pois sei que a familia está toda reunida e em segurança, acabará a partir do momento em que nasçam os meus filhos. A partir daí serão poucas as noites inteiras e descontraídas que terei, até ao resto da minha vida, eles são parte de mim e o meu pensamento estará sempre com eles.

Depois dos acontecimentos dos últimos dias, em que mais uma vez vimos o destino manifestar-se da sua forma mais cruel, o peso da realidade submergiu-me. Como sabem, eu sempre disse, desde o primeiro momento do meu positivo, a guerra não está ganha, foi só mais uma pequena batalha que se venceu. É evidente que continuo a pensar o mesmo, mas inevitavelmente, ao sabor do tempo que passa, ganhamos mais confiança e aligeiramos um pouco a pressão a que estamos sujeitas. É evidente, que não devemos aligeirar. Eu não sou a típica portuguesa, ou seja eu não julgo que "acontece só aos outros", acho que o que acontece aos outros é muito possível que possa acontecer-nos a nós, até porque nós não somos em nada superiores aos outros, somos feitos da mesma matéria e concorremos com as mesmas possibilidades.

Então ontem fomos a Fátima, fui queimar 2 velas pelos nossos pipis, e pedir para eles a protecção divina. Pedi por nós e por todas vós, para que possamos prosseguir a caminhada sem mais sobressaltos e que cheguemos ao fim esperado. Se não o conseguirmos, que nos seja dada coragem de enfrentarmos o que nos estiver reservado sem revolta, e com força.

Beijos a todas

30 comentários:

Anónimo disse...

Obrigada...
Beijinhos.
Marisa

Bem Me Queres disse...

Eu fui lá em Agosto depois da médica me autorizar a viajar. Vive-se uma paz inexplicável e sei que Nª Srª está a tomar conta dos nossos meninos.
Bjs doces dos 3 para os 3!
Cláudia

Maria disse...

Amiga, eu também vou a Fátima muitas vezes porque sinto que lá alcanço uma paz de espírito inigualável...

Apesar de não saber o que é esse amor incondicional por um filho, acredito que tenhas toda a razão e que, de facto, as noites de descanso de uma mãe acabem no dia em que o bebé chega... No teu caso, essas preocupações vêm a dobrar mas a felicidade, a alegria e a harmonia também! :)

Beijinhos grandes,

Maria

kitty disse...

Obrigada, amiga...
Beijinho

Anokax disse...

Uma paz, nã é?
Fizeste muito bem em lá ir!
Jinhus Grandes e Boa semana

cris disse...

Concordo completamente contigo amiga, há coisas na vida bem mais crueis.
Beijocas

Norita disse...

Gosto tanto de te ler, consegues traduzir tudo de forma tão simples e clara. Concordo contigo em tudo o que dizes, fizes-te bem, lá sente-se um Paz que te ajuda neste momento. Beijinhos grandes para ti e pipis, boa semana

amora disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amora disse...

Gostei muito do teu texto e compreendo-te na perfeição. Também raramente apelo às preces para que a minha angustia por uma gravidez seja diminuida, pois acredito que existem outras coisas bem piores e também porque considero que a ajuda de Deus não necessita que eu a peça. Mas imagino que quando se carrega um filho a forma de pensar, as preocupações mudam totalmente em todos os sentidos!

Espero que tudo te corra bem e que encontres a serenidade possível para embarcar nesta viagem!

bjos

Tixa disse...

Eu fui a Fátima há 15 dias, sinto-me sempre tão em paz, apesar de achar que está a ficar um local cada vez mais comercial e barulhento. Gosto de ir lá, fazer as minhas preces.
Vai tudo correr bem convosco e com os vossos pipis lindos.
Bjs grandes

carla disse...

Olá fofinha.
Se há lugar onde eu encontro paz, esse lugar é concerteza Fátima.
Eu fui lá em Agosto e também pedi a Nª. Srª. de Fátima por todas nós, para que nos dê força e coragem que que possamos aceitar tudo aquilo que nos está destinado.
Obrigada, amiga, por te lembrares de todas nós.
Espero que tenhas uma boa semana e deixo-te muitos beijinhos ternurentos para ti e para esses teus "pipis".
Carla

Piolha disse...

eu tb adoro lá ir...
obrigada!!!

beijinhos

Rita disse...

Também tenho 3 filhotes, 2 dos quais são gémeos. Ambas as gravidezes foram por FIV. E nem imaginas as vezes que fui a Fátima... pedi taaaaanto... e fui ouvida... graças a Deus!
Beijinhos

Bernardina disse...

Nossa Senhora vai responder às tuas preces! Aquele lugar é mágico!

Beijocas grandes

Nina disse...

Bem, cá vai mais um dos meus comentários-testamento, preparada?:)
Eu também nunca pedi nada de concreto a Deus, mas desde sempre me habituei a pedir-Lhe que me ajudasse a suportar os maus momentos da minha vida e que guiasse os meus passos, ou os daqueles que amo...se calhar já é pedir, não é?:)
Como dizes, a ter que pedir alguma coisa, pedir-se-ia pelos que vivem situações bem piores!
Por vezes dou comigo a aconselhar a minha mãe. Ela julga que, pedindo-Lhe este ou aquele favor, é a solução dos seus problemas. Eu penso que o melhor é, apenas, pedir-Lhe que nos dê o que achar que é melhor para nós.
Fátima é um lugar mágico. Quer queiramos, quer não, nunca de lá saimos indiferentes.
A Fátima eu já peço...é curioso!
A razão? Não sei!
Vou contar-te um segredo: à noite, quando me deito(e não caio redonda de tanto sono), costumo agradecer ao meu anjo da guarda e a Nossa Senhora (por não saber quem me ajuda)o que de positivo me deram nesse dia. Ao anjo da guarda nunca peço nada, mas agradeço.
Agradece pelos teus Pipis, pela sua saúde, por teres ao teu lado esse homem fantástico que é o pai dos teus filhos... e, amiga, não penses no pior.
Eu sei que é impossível pôr de lado o que a Susana viveu, mas as histórias de vida não são iguais...a tua não vai ser, não pode ser!
Daqui para a frente nada será igual...esses lindos Pipis que carregas vão dar-te muitas dores de cabeça, sim, mas também te vão dar muitas alegrias...já dão, não é?
Vais ser uma mamã linda, já és, porque o sentimento que caracteriza uma Mãe está em ti...sempre esteve, de certeza!
Muitos beijinhos e não te esqueças de transmitir o meu recado habitual aos Pipis: nada de se portarem mal:)

*CC* disse...

Olá,

beijocas
CC

Sandra J. disse...

Este teu texto transmite a paz de espírito que tu sentes.
Concordo contigo quando dizes que as preocupações de uma mãe nunca mais têm fim, há sempr eisto ou aquilo que pode acontecer e vivemos com o coração nas mãos, mas também muito mais felizes, uma felicidade impossível de descrever.
Estou aqui, deste lado do mundo, a torcer por todas vocês e a desejar que ninguém passe nunca pelo que aconteceu à Susana.
Bjs

zanita disse...

Adorei ler as tuas palavras....boa sorte para ti e que leves a bom termo a tua gravidez. Tudo de bom amiga.

Beijocas

suzana

Clara Sonhadora disse...

Ainda bem que encontras essa paz!

Bjos

Sonhamos Contigo disse...

Vim agradecer o comentario deixado no meu blog...
Apercebi-me k estamos de pouco tempo de diferença, visto que para a semana o teu trimestre acaba e vais puder descansar mais um bocadinho...

Concordo ctg nakilo k escreves... so quando perdi o meu primeiro bebé, me deparei com uma necessidade de rezar a Deus e lhe pedir para olhar pela alma do meu bebé, e pedir para que eu pudesse gerar um novo ser dentro de mim...
Felizmente consegui, e sou grata a Deus por cada dia que passa... Ainda ontem, quando fui a consulta, peguei num tercinho pequenino que tenho e que trago sempre no porta-moedas, e rezei... pedi para eu ver o meu bebé de saude e feliz!! E mais uma vez, Deus ouviu-me!!
Cm tu disseste, apartir do momento que trazemos um ser no ventre, começamos a preocupar-nos e a viver só para eles, pensando no seu bem-estar... a guerra ainda nao esta ganha, nao... ainda faltam mais dois trimestres, o parto, e depois do parto... ui, imagino os receios k teremos... mas tb o grande amor que nutrimos por eles, desde o primeiro instante!!

Desculpa o testamento... isto ka vai longo, mas kero desejar-te toda a sorte do mundo, para ti e para os teus pipis!!
Vai correr td bem, mas, mm assim, continua a rezar e a agradecer... Da-nos alento e confiança!!

Jinhos

Ana disse...

Beijocas ENORMES :***

Sem Desistir disse...

Obrigada amiga por te lembrares de nós. Quando lá vou também faço o mesmo por todas nós. Faz-nos sentir bem. Felicidades para ti e os teus "pipis".

carla disse...

Olá amiguinha.
Passei aqui para te deixar um beijinho ternurento e um xi coração fofinho e apertadinho!!!
Carla

Sonia disse...

:)
Foi uma viagem que tb tenciono fazer brevemente.

Anónimo disse...

Eu tb gosto mto de ir ao Santuário.Um dia destes tenho que lá ir tb. Espero que as tuas preces sejam atendidas e que tudo te corra pelo melhor. bjs Tuga

Nina disse...

Apeteceu-me vir trazer-te uma beijoca e reiterar o meu pedido aos Pipis(sim, porque as crianças são teimosas!!).
Beijinhos aos Pipis...O Diogo manda perguntar se se conhecerão um dia:)

TIA_TITI disse...

fÁTIMA, não tem palavras sempre que piso aquele adro as lagrimas caem-me pela face, então se à canticos pareco uma madalena, não tem explicacao. Beijokas

maria disse...

tudo de bom..
bjo

Nina disse...

:)
Logo que tenha um tempinho já venho tagarelar contigo no msn:)...obrigada, querida!
Não pude deixar de esboçar um sorriso quando disseste que, sempre que não sentes os teus Pipis, lá vêm as preocupações!
Nos meus primeiros 3, 5 meses parecia uma doida! Apalpava os peitos, olhava para a cuequinha(tu também o fazes, não é?) e, quando não tinha enjoos, começava a cismar...para além das dores que tinha e que me faziam crer que algo estava mal... cismava por tudo e por nada!
Com o tempo fui melhorando(felizmente), mas de vez em quando ainda me ponho a cismar.
O D. dizia que eu aguentava tudo, desde que soubesse que estava tudo bem com o bebé, e é verdade! Queria eu lá saber das dores que me impediam de mexer! Quando o via no ecran, suportava-as todas!
Conheces alguém que com apenas 6 meses(menos 3 dias) de gestação tenha feito 15 ecografias? Moi-même!!
Uma doida é o que sou! Espero melhorar com o tempo:)
De certeza que és mais ajuizada!lol
Aqui fica mais uma beijoca para os 3.
Pipis, nada de dar grandes enjoos à mamã...que tal começarem a fazer-lhe festinhas na barriguita??Assim ela já fica mais descansada e não anda a perder tempo a correr para a casa de banho!

Filipa disse...

Acredito muito na Nossa Senhora, adoro o Santuário de Fátima, não tenho dia certo para ir lá, mas quando vou venho assim como tú: em PAZ.
Beijos e tudo de bom