terça-feira, junho 06, 2006

Este pequeno mundo - parte 2/5

Não podia deixar de vir cá hoje... confesso que numa primeira fase de choque, me apeteceu apagar isto tudo e esquecer que alguma vez isto existiu sequer, isto tudo a propósito de um qualquer comentário, de uma encruada qualquer, que me fez perder um bocado as estribeiras.

Mas, depois de uma sessãozita de ginásio, lá acalmei os ânimos e decidi ficar. Parece-me surreal, que uma MULHER, cometa o desvario (sem pelo menos ter uma "catrefada" de filhos, a massacrar-lhe o espirito), de proferir semelhantes barbaridades, senão vejam:

"impressiona-me a quantidade de mulheres com problemas de fertilidade na blogosfera. são às centenas em portugal, todas elas com a frustração de não conseguirem conceber, parir, procriar ou sequer engravidar. são mulheres desapossadas da sua condição de fêmeas. o seu corpo recusa-se a cumprir o papel para o qual foi concebido: gerar vidas. leio-as entre um misto de incredulidade e angústia, enquanto descubro um novo vocabulário: iiu, fiv, indução de ovulação, hiperplasia, folículos. são patéticas na sua obstinação, desesperadas no seu desejo de serem mães."

A coisa raia o inconcebível, principalmente, e a meu ver por se tratar de uma mulher, será que a criatura julga estar isenta de todos estes problemas?

Bom, este texto a maioria de vós já conhece e acredito que quase todas, ou pelo menos um grande número já comentou. Antes de mais, gostaria de apreciar a forma mordaz como escreve, reparem na subtileza dos adjectivos escolhidos, Eça não faria melhor. Depois os requintes de malvadez com que diz "eu corpo recusa-se a cumprir o papel para o qual foi concebido: gerar vidas". Delicioso, e ainda por cima pré histórico, uma vez que todas sabemos que o corpito tem muito mais serventia do que "parir" ou "gerar" filhos (pelo menos o meu tem, enfim não posso falar por todas). Tinha eu de viver até esta idade para LER isto...

Mas isto não termina queridas amigas, a análise desta pérola da literatura portuguesa continua, na sequência dos adjectivos: "são patéticas na sua obstinação, desesperadas" - lindo, lindo, tiro o chapéu a esta rapariga, ela escreve muito bem. Esqueceu-se, porém, da sua condição de fêmea procriadora, o que faz com que não esteja isenta de toda a lamechice associada aos ditos blogs "patéticos".

Que existem blogs com maior ou menor qualidade, é indiscutível, mas uma coisa que nos foi concedida há já algum tempo foi o "free Will", portanto, se por uma lado nós podemos ler e criticar, por outro também temos de aceitar a réplica a essas criticas. O importante é que podemos escolher... não somos obrigados a nada...

Agora, o que quero condenar, são as réplicas "ressabiadas", mal estruturadas, e mal educadas. Perde-se a razão e perde-se a nível... e isso não se pode tolerar, e não podemos ficar todas no mesmo "barco", desculpem-me, é assim que sou.

Quem anda nisto não é por gosto, não é por ser "demente", ou por não ter mais nada para fazer. Anda-se nisto por necessidade, uma necessidade de extravasar os sentimentos; por necessidade de "feed-back", de ouvirmos qualquer coisa que nos faça acreditar em algo que nem nós mesmas acreditamos; é a necessidade de vermos que o problema do parceiro é maior que o nosso e que afinal até estamos muito bem... é a necessidade final de vermos que poderá existir algo mais para além disto.

Não se vive em prol de uma possivel gravidez ou do aumento infinito da prol, vive-se num sub mundo, onde somos todos iguais... vive-se num pequeno mundo como lhe costumo chamar. Onde não temos de fugir para dizermos que "não, não temos filhos porque não conseguimos"; onde não temos de andar sempre a tirar a roupita e a assumir aquela posição fantástica, para um bando de médicos espreitar... e pior de tudo, onde as nossas células não são misturadas num laboratório.

Porque meus amigos, falar de infertilidade, é a mesma coisa que falar de pensos higiénicos ou orgasmos, só muda o tema e a superficialidade do assunto.

É este o pequeno mundo da infertilidade! Sejam benvindos! Adoramos tê-los cá!

Beijos a todas

30 comentários:

Alexandra disse...

Mordaz...como só tu sabes ser!
Beijinhos
Alexandra

Tiquinha disse...

é a stardust no seu melhor!! Gostava de ter a tua capacidade de escrita e de expressão, olha mas não tenho!! Enfim Amiga obrigado por estares ao desse lado, não tens 5 anos de diploma, mas tens me ajudado mais que alguns com 5 e mais anos...!!!
beijos
tica

kitty disse...

Brilhante!
:)
Beijinho

ganesha disse...

cara stardust,

já percebi que o seu forte não é análise de conteudo...

só mais uma coisa: eu não retalho textos dos outros no meu blog. não os manipulo como a stardust fez ao meu. não os interpreto de forma incorrecta e malsã.

nisso errou, como errou relativamente à interpretação que fez do mesmo. uma coisa é "patético" e outra coisa é "pateta". vá ao dicionário e perceba a diferença.

em tudo o resto, desejo-lhe sinceramente toda a boa fortuna para os seus planos.

e nisso recorro ao meu texto uma vez mais, ou à ideia que a mulher foi feita para gerar vidas, ao conceber, parir, prociar, engravidar.

Clara Sonhadora disse...

Com análise de conteúdo ou não, fica aqui 1 beijo para ti.
Era escusado... infeliz escolha de palavras, mas como não parece mesmo perceber, convicta do portugues correcto e coração de pedra... nada mais há a acrescentar a não ser vivar a página.

cris disse...

Ai miga que cena tão estranha! Bom eu vou antes comentar o teu texto pela positiva, está brilhante, muito bem escrito, adorei! Afinal não és brilhante só nas contas!!!!
Beijocas

carla disse...

Bom dia, Já tive muitos dissabores na vida por não conseguir engravidar.
Por ser uma entre as muitas pessoas que vive com o estigma da infertilidade e que não consegue concretizar o sonho de uma vida...Ser Mãe.
Mas uma coisa é certa, minha querida não podemos baixar os braços, temos que olhar em frente( o que nem sempre é possível) e continuar.
Muitos beijinhos.
Carla

P.S.: Tenho o teu blog adiconado nos meus favoritos, não passo um dia sem lá ir.

Mariazinha disse...

Muito bem !!!!!

Em poucas palavras conseguiste dixer tudo e dar uma boa lição a essa Srª ....

Obrigada por seres assim adoreiiiiiiiiii


beijos

Koba disse...

Stardust,
Opiniões à parte, é evidente que há qualidade na sua escrita.
O seu blog não merece cair num saco de generalização.
Já a tinha excepcionado durante o dia de ontem, volto, agora, a fazê-lo.
Naturalmente, e falo por mim, nada do que ontem foi dito se dirigia a si e a blogs como o seu.

Milo Manara disse...

Koba,

Concordo, mas acho que a Stardust também tresleu, tal como as outras, o que disse a Gris.

A Gris não é, como sabes, o monstro que a maioria daquelas senhoras imagina. O "patético" tinha obviamente a ver com a forma e o conteúdo de alguns dos blogues e não com a condição de não conseguir ter filhos. E acho que essa destrinça a Stardust também não fez.

A Gris nunca teria feito aquele post sobre este blogue em concreto, por exemplo.

ganesha disse...

cara stardust,

tenha apenas em mente o seguinte: grande parte das pessoas que foram ao meu blog ontem vieram pelo seu blog e serão suas leitoras assíduas. isso dá um bocadinho que pensar, não acha?

Norita disse...

Querida stardust, realmente uma boa reflexão sobre os tristes comentários de alguem que nem merecia tanta atenção. Um beijinho grande e vamos continuar na nossa luta.
norita30

Anónimo disse...

cara stardust,

tenha apenas em mente o seguinte: grande parte das pessoas que foram ao meu blog ontem vieram pelo seu blog e serão suas leitoras assíduas. isso dá um bocadinho que pensar, não acha?

Anónimo disse...

cara stardust,

tenha apenas em mente o seguinte: grande parte das pessoas que foram ao meu blog ontem vieram pelo seu blog e serão suas leitoras assíduas. isso dá um bocadinho que pensar, não acha?

Anónimo disse...

cara stardust,

tenha apenas em mente o seguinte: grande parte das pessoas que foram ao meu blog ontem vieram pelo seu blog e serão suas leitoras assíduas. isso dá um bocadinho que pensar, não acha?

Anónimo disse...

cara stardust,

tenha apenas em mente o seguinte: grande parte das pessoas que foram ao meu blog ontem vieram pelo seu blog e serão suas leitoras assíduas. isso dá um bocadinho que pensar, não acha?

Anónimo disse...

cara stardust,

tenha apenas em mente o seguinte: grande parte das pessoas que foram ao meu blog ontem vieram pelo seu blog e serão suas leitoras assíduas. isso dá um bocadinho que pensar, não acha?

Milo Manara disse...

Stardust,

Respondo-lhe aqui porque na Confraria nunca se falou lá nisto e à excepção do Koba ninguém perceberia a nossa conversa.

Condena os que nos agridem de forma gratuita, mas a mim, pessoalmente, a Stardust foi a única que o fez. Disse que eu não sabia que os homens não podiam ser inferteis, que era burro e mais não sei o que, quando eu nem sequer disse nada sobre este assunto.

Apenas disse, e continuo a dizer, que as reacções foram aburdas.

Se não se lembra, convido-a a ir lá ver. Bem sei que estava fora de si, mas está lá.

Koba disse...

Milo,
Repito:
"Opiniões à parte, é evidente que há qualidade na sua escrita. O seu blog não merece cair num saco de generalização. Já a tinha excepcionado durante o dia de ontem, volto, agora, a fazê-lo. Naturalmente, e falo por mim, nada do que ontem foi dito se dirigia a si e a blogs como o seu."

Ou seja, nada do que EU disse se aplica à stardust. Se ela tresleu ou não o que disse a Gris, é outro problema.

Gris, o veículo terá sido outro blog, daqueles em que nunca se sabe em que se transforma o cursor... é fácil verificar pelas datas das postadas.

stardust disse...

Milo,

De facto não o chamei burro, quis apenas demonstrar-lhe que o facto existirem problemas de fertilidade não se deviam apenas às mulheres, coisa que me parece esteve ali um bocado esquecida.

Em todo o caso, acho que este assunto, já foi especulado até ao absurdo, e portanto, quero, a si, pedir-lhe desculpa se de alguma forma o ofendi.

Acho que sempre assumi uma postura muita clara desde o ínicio, daí a acusarem-me de ser eu a fazer os comentários anónimos, vai uma distância muito grande.

Portanto se achar oportuno encerraremos por aqui este assunto. No entanto se quiser colocar mais alguma questão será sempre com agrado que lhe responderei, e saberá sempre que sou eu a responder.

Anna72 disse...

Nem mais!

E eu não fui lá parar por este blog ;)

Beijinhos

ganesha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Milo Manara disse...

"Caríssimo milo manara (e sua grande amiga gris);

Tudo o que diz é muito bonito, mas a sua ignorância ultrapassa de facto o razoável... então não sabe que mais de metade das causas de infertilidade são masculinas?"

Chamou-me ignorante. Não é preciso pedir desculpa, porque me estou a cagar. Ignorante é coisa que não sou, basta ver como escrevo.

Já agora, Stardust, explique-me onde é que eu disse que a infertilidade era um exclusivo feminino.

Bunny disse...

Ai amiga...
sem comentarios...
Um beijinho enorme

stardust disse...

Gris

Está encerradissimo no que me diz respeito, lamento profundamente tudo isto.

ganesha disse...

stardust,

de facto vamos lá encerrar o assunto.

claro que não acho que foi a stardust que escreveu aqueles comentários horríveis. e se ler com atenção a frase, irá perceber que não é isso que sugiro. apenas expandi o seu pensamento quando critica esses mesmos comentários e a partir do momento que tem o cuidado em se afastar deles. e não me diga que não dá que pensar... daqui deste blog foi muita gente, que não teve sequer a coragem de deixar linkado o blog ao respectivo nome (ao contrário de si) que não deixou rasto ou pista do seu próprio espaço. gente que não quer resposta, gente que não sabes conversar, trocar ideias. ao contrário de si.

e desculpe os seis comentários em anónimo. são meus, como percebeu... isto estava emperrado e fui clicando consecutivamente.

stardust disse...

Milo,

Segundo me lembro, o seu comentário "dissecava" o post da Gris; A Gris falava exclusivamente das mulheres na sua condição de "geradoras de vida", em nenhum momento se referiu a parte masculina da questão, daí eu falar da infertilidade masculina... só por isso. Nós temos a responsabilidade de gerar a vida, mas não podemos fazê-lo sozinhas.

Esclarecido?

Milo Manara disse...

Stardust,

A Gris falava de mulheres, porque os blogues são todos de mulheres.

Esclarecida?

Kya disse...

Mas realmente é sintomático que, neste país, o insulto e os maus sentimentos, seja de que lado for, têm sempre muito mais resposta do que as coisas boas e bonitas. Eu também escrevi, em tempos, sobre os blogs da infertilidade - e não foi para ofender, nem para não ofender, foi porque calhou, porque invejei (no bom sentido) algo que me parece (parece!) que alguns desses casais têm e eu, por exemplo, não tive. Nunca seria citada (e isso não me causa inveja alguma), nem teria as audiências que as coisas menos boas têm, e isso causa-me tristeza. No fundo, pode parecer que as pessoas são todas iguais, em ambos os lados - e continuo a nem sequer querer comentar o assunto que traz acesos os blogs em questão -, e isso é realmente a coisa mais patética possível. Assino com o meu nome, mas não deixo o meu blog pois não foi para ter visitas que comentei. Era mais para reflectirem e recordarem que "vozes de burro não chegam ao céu".

Anónimo disse...

A justiça, tarda mas não falha!

Para uns, será doce como o mel, para outros, será amarga como fel.

Stardust, q todos os teus desejos se realizem. A maior sorte do mundo para ti.

Beijinhos,

RL